A importância da política fiscal como mecanismo contracíclico: uma perspectiva keynesiana

Segundo o Bank of America (BofA), os países já injetaram U$25 trilhões na economia. sendo US$ 15,23 trilhões vindos da política fiscal e US$ 9,32 trilhões da política monetária. Esse montante chega a quase 29% do PIB global.

Nenhuma descrição de foto disponível.
Imagem tirada do site Valor Econômico

Numa perspectiva keynesiana, a predominância da política fiscal, frente à monetária, evidencia a importância da demanda para a reativação da atividade econômica. A elevação da preferência pela liquidez, derivada do cenário de incerteza, faz com que os estímulos monetários fiquem retidos dentro do mercado financeiro, ou seja, não indo para o lado real da economia.

Neste caso, caberia à política fiscal induzir a demanda necessária para que os agentes retornem a confiança necessária para tocarem os negócios em melhores condições.

Essa percepção está explícita, por exemplo, na fala do do chefe de economia global do BofA, Ethan Harris:

“Você precisa de uma ponte para lidar com essa última rodada da crise de covid-19. E não podemos contar com os bancos centrais para fazer este trabalho. Eles estão com pouca munição”. 

Ethan Harris, chefe de economia global do BofA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s