Desenvolvimentismo x liberalismo: o debate sobre a economia sul-coreana

As causas do desenvolvimento de países de industrialização tardia, como a Coreia do Sul, é um dos embates mais polêmicos entre economistas heterodoxos e ortodoxos.

Como os dados abaixo mostram, a Coreia do Sul teve uma forte aceleração no seu setor industrial a partir dos anos 50, o que gerou também um crescimento na renda per capta da população.

Esse movimento é seguido até hoje, ao contrário de países como o Brasil, que teve o seu desenvolvimento interrompido em meados dos anos 80.

Para os economistas ortodoxos, foram as reformas pró mercado, a política de Estado mínimo, e o equilíbrio fiscal – diminuição dos déficits fiscais a partir dos anos 70 – que permitiram a Coreia do Sul se modernizar.

Melhoria do resultado primário na Coreia do Sul.

O argumento desse grupo é que, com um cenário internacional favorável à economia sul coreana, a política liberal permitiu a atração de capitais estrangeiros para financiar o desenvolvimento e crescimento do país.

A perspectiva desenvolvimentista

Para os economistas desenvolvimentistas, o sucesso do desenvolvimento da Coreia do Sul se deu pela dominância do paradigma político desenvolvimentista.

Os autores dessa corrente focam em explicar como o quadro institucional da política industrial contribui para o processo de modernização produtiva e aquisição/reprodução tecnológica de um país.

Dentro do quadro geral de medidas realizadas pela Coreia do Sul, temos: 1) realização de política industrial; 2) direcionamento dos gastos públicos e subsídios para a promoção da indústria nacional; 3) estatização do sistema bancário (entre os anos 50 e 80); 4) implementação de uma política seletiva de investimentos diretos estrangeiros (IDE), na qual houve exigência de uso de componentes locais e quotas obrigatórias de exportação; 5) criação de instituições para a promoção de P&D pelo setor privado.

Assim, os desenvolvimentistas afirmam que foi a partir destas medidas que o país experimentou um período virtuoso de crescimento industrial e da produtividade.

Algumas das etapas da política industrial sul-coreana são resumidas na tabela abaixo:

Fonte: LAPLANE, FERREIRA & BORGHI; Padrões de crescimento, investimento e processos inovadores: o caso da Coreia do Sul.

Entretanto, não se pode negar que o país tenha negligenciado a estabilidade econômica, visto que o governo realizou várias rodadas de estabilização macroeconômica, principalmente quando a inflação, o endividamento e o déficit em conta corrente começavam a sair do controle.

É importante ter em mente que o desenvolvimentismo não é sinônimo de irresponsabilidade fiscal. A diferença está basicamente no horizonte de tempo. Enquanto ortodoxos preconizam o equilíbrio fiscal tanto no curto quanto no longo prazo, o desenvolvimentismo defende que períodos de déficit, no curto prazo, são aceitáveis para financiar uma modernização produtiva, pois acredita-se que esta estratégia entregará retornos futuros ao país.

No caso da Coreia do Sul, argumenta-se que os resultados positivos das políticas estatais de fomento industrial foram criando condições, ao longo do tempo, para que as necessidades de estabilização macroeconômica não causassem problemas à indústria, à trajetória de desenvolvimento e ao crescimento.

Outra crítica dos economistas desenvolvimentistas é que as reformas liberalizantes, que os ortodoxos colocam como causa principal do desenvolvimento do país, começaram a ser discutidas e planejadas quando a base industrial do país já estava bem estabelecida, por volta dos anos 80.

Algumas considerações

A orientação da política macroeconômica para o desenvolvimento sul coreano deve ser avaliada em seu contexto histórico.

Cada passo foi importante para o desenvolvimento industrial.

Tanto as políticas desenvolvimentistas, de promoção do crescimento e industrialização, quanto os períodos de austeridade e estabilização, de cunho ortodoxo, foram determinantes para que o país conseguisse aproveitar do cenário internacional favorável.

Se no Brasil as reformas liberalizantes tiveram como resultado jogar o país numa trajetória de especialização regressiva em commodities, na Coreia do Sul foi diferente.

No país do Leste Asiático, a mentalidade modernizante foi institucionalizada já no período desenvolvimentista (1950 – 1980), de modo que as reformas liberalizantes não geraram riscos para a estrutura produtiva nacional.

A Samsung é uma das marcas do sucesso do desenvolvimento sul-coreano.

Além disso, a mudança de paradigma mostrou que o país não precisava mais dar tanta proteção ao capital nacional, visto que ele apresentava a robustez suficiente para enfrentar o mercado internacional.

Embora as reformas liberalizantes tenham contribuído para a estabilização da inflação e atração de fluxos externos, as instituições continuaram tendo papel importante na orientação dos empreendimentos do país, conforme as políticas e instituições citadas no quadro anterior.

Dica de leitura

Para aqueles que gostariam de aprofundar seu conhecimento sobre as políticas e instituições que levaram à industrialização dos países do Leste Asiático, uma ótima indicação é a obra de Alice Amsden, intitulada “A Ascensão do Resto: Os desafios ao Ocidente de economias com industrialização tardia“.

O livro pode ser comprado neste link, pela loja da Amazon: https://amzn.to/3ainvyB

Resumo: Depois de um século de lutas, uma dúzia de países fora do tradicional eixo desenvolvido (Europa-América do Norte), de experiência manufatureira anterior à Segunda Guerra Mundial, alcançaram a órbita da indústria moderna. A ascensão do “resto” não teve precedentes. Pela primeira vez, países sem o acervo competitivo de tecnologia pioneira básica tornavam-se potências econômicas. Como se firmou a industrialização entre esses tardios ingressantes, por que seguiram novos caminhos e o que alguns países fizeram para avançar mais do que outros são algumas das questões enfrentadas por este livro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s